It: A Coisa, um dos grandes lançamentos do ano de 2017 da Warner Bros e da New Line Cinema, que é uma aventura sobrenatural de pura nostalgia juvenil dos anos 80 dos gêneros drama, fantasia, mistério, suspense e terror baseada na famosa obra literária de Stephen King!

Bom dia, meus amigos, hoje tenho uma nova crítica para vocês que é sobre um dos esperados lançamentos do ano de 2017 que todos estavam esperando ainda mais se tratando de uma adaptação cinematográfica de uma obra literária do aclamado escritor americana que é o mestre dos gêneros fantasia, mistério, suspense e terror cujas algumas de suas obras já foram adaptadas para os cinemas como Carrie – A Estranha, O Iluminado, Cujo, Cemitério Maldito, Cujo, Colheita Maldita, O Nevoeiro, Angústia, mas têm outras obras mais coloridas do escritor que ganharam filmes como Conta Comigo, Um Sonho de Liberdade, À Espera de Um Milagre, e vocês sabem de que escritor estou me referindo para vocês, não, eu vou responder a dúvida de vocês no parágrafo abaixo;
O escritor é o aclamado e famoso Stephen King que esse ano, já teve três de suas obras adaptadas para a indústria do entretenimento a duas para o cinema e outra para a televisão, sendo que uma de suas obras que foi adaptada para o cinema e que chegou ontem e hoje nas salas de cinemas do mundo foi bem recebida pelas críticas dos críticos americanos antes da sua estreia oficial nos Estados Unidos, e ainda a novidade não para por aqui porque a mesma adaptação do escritor Stephen King já foi adaptada nos anos 90, mas no formato de um telefilme, ou seja, uma minissérie, e essa é obra é It: A Coisa que foi publicada no ano de 1986 e têm no total de 1000 páginas que é considerada uma das obras mais volumosas do escritor e ainda a novidade para por aqui.
A história do livro que foi adaptada para uma minissérie dos anos 90, foi dirigida pelo diretor americano Tommy Lee Wallace (que é conhecido como diretor dos filmes Halloween 3: A Noite das Bruxas e A Hora do Espanto 2) e ainda o papel do palhaço assustador Pennywise ficou por conta do ator britânico Tim Curry; Uma das diferenças que vou contar sobre a versão dos anos 90 e a nova versão do ano de 2017 é que a dos anos 90 mostrou o tempo de juventude e a idade adulta dos protagonistas, mas na nova versão foi tomado um caminho diferente que vou explicar com mais detalhes a respeito com vocês com muito cuidado para vocês entenderem com muita calma.
Ontem quando fui assistir ao filme It: Coisa com meu amigo na estreia do filme na quinta-feira pôde perceber uma das estratégias mais inteligentes das mentes criativas por trás da nova versão que estava presente em todo filme e ao mesmo tempo eu achei brilhante ainda mais que deu um grande desenvolvimento forte para o filme em todos os sentidos, e ainda foi um dos fatores que garantiu o sucesso do longa nas primeiras críticas antes da sua estreias no cinema no mundo, e para vocês entenderem o que estou dizendo eu convido vocês para lerem a minha crítica a respeito do filme que eu garanto que não vão se arrepender de ler ela. 
E a adaptação para os cinemas do livro It: A Coisa é sob o comando da Warner Bros e da New Line Cinema que foram responsáveis pela grande quantidade de filmes dos gêneros suspense e terror que iniciou em 2013 que são Invocação do Mal (2013), Annabelle (2014), Invocação do Mal 2 (2016), Quando as Luzes se Apagam (2016) e Annabelle 2: A Criação do Mal (2017), e agora esses dias somos presenteados pela nova versão de It: A Coisa que recebeu grandes destaques também como a história se formou no decorrer do filme, e ainda mais que a produção teve um grande desenvolvimento na equipe de produção assim como no elenco e principalmente na sua história e seu núcleo principal.
Outra coisa que podemos notar na nova versão está na linha temporal que no livro e da minissérie dos anos 90 a infância dos protagonistas se passavam no ano de 1957 na década de 50, aqui na nova versão a infância dos protagonistas se passa no ano de 1989 na década de 80, também uma das mudanças da época foi uma das responsáveis pelo sucesso do filme, que deu um grande toque de nostalgia para a trama, porque para aqueles que assistiram ao filme ou ainda não assistiram verão que ele segue a mesma linha dos clássicos de aventura adolescentes dos anos 80 das sessões da tarde ainda com um toque de drama, fantasia, mistério, suspense e terror que funcionou em um ritmo que deu para acompanhar a história em todos os sentidos.
E ainda o mesmo filme nos apresentou o novo mestre dos gêneros fantasia, mistério, suspense e terror que é o diretor argentino Andy Muschietti (diretor do filme Mama de 2013) deu lá um grande toque pra lá de sombrio na famosa obra literária de Stephen King para os cinemas em todos os sentidos não só pelo lado sobrenatural como também no lado humano do filme em que já foi apresentado no logo de cara no início do filme, mas também os críticos ou as primeiras pessoas que assistiram ao filme na Comic-Con San Diego 2017 não estavam brincando quando disseram que essa nova versão do conto era mais assustadora e sangrenta que a versão dos anos 90 em todos os sentidos porque o filme também é uma história juvenil de amadurecimento e crescimento do início até o final.
A nova adaptação do livro It: A Coisa do aclamado e famoso escritor americano Stephen King se mostrou bastante fiel ao livro do escritor do início até o final, também um dos motivos que deixaram os fãs do livro do It, meio temerosos com a divisão da história em dois filmes porque achou que ia estragar totalmente a história até posso compreender a questão dos fãs porque nos anos anteriores que tivemos novas versões de clássicos do cinema que não deram muito certas, mas não deram resultados positivos porque a mentes por trás do projeto não desenvolveram da forma correta, porque uma das coisas que eu sempre falo a respeito de projetos cinematográficos são as mentes criativas que estão por trás ideias de como vai se desenvolver o enredo da trama, e até na produção do mesmo; E It: A Coisa é a adaptação cinematográfica nova de um clássico livro de Stephen King que estavam todos estavam esperando ainda porque uma das estratégias da produção do filme foi dividir a história em dois filmes (o primeiro que mostrava os protagonistas como crianças enfrentando o palhaço assassino sobrenatural e o segundo mostrando os protagonistas para enfrentar o monstro que ameaça a cidade deles) essa sem dúvida é uma das estratégias mais inteligentes em um grande projeto, até porque num história como It: A Coisa feito uma grande coisa importante que não feita na minissérie dos anos 90 que é a organização da trama e o equilíbrio da mesma, na versão dos anos 90 mostrava a infância e a idade adulta dos protagonistas em só filme o que tornava a dificuldade o desenvolvimento de personagens e tramas tanto do passado como no futuro dos protagonistas, ou seja, ficava uma misturada só e para falar a verdade até concordo que o livro It: A Coisa é visto como uma história de duas partes para aqueles que leram o livro sabem que eu tenho razão e também a mesma decisão da produção se deve ao orçamento que deve ser daquele tamanho, mas só é menos caro porque as filmagens do filme aconteceram em Toronto no. Canadá, para aqueles estavam temendo que o filme fosse ruim, então pensaram errado, até porque não podemos o livro pela capa.
Além disso, a nova adaptação cinematográfica da Warner Bros e da New Line Cinema do famoso livro de Stephen King é uma mistura da famosa serie do canal NETFLIX, Stranger Things com as franquias Invocação do Mal e A Hora do Pesadelo com uma enorme dose de nostalgia dos anos 80 que domina a produção, o início do filme começa um ano antes na trama principal começar no ano de 1988 onde encontramos o protagonista da história do filme chamado Bill que em um dia de chuva estava fazendo um barquinho de papel para o seu irmão mais novo George enquanto estava doente, e nesse meio período do começo do filme já notamos o tom dark de mistério presente na história e podemos ver a história do filme seguiu o enredo original do livro que dizer o diretor e a produção nos mostraram que fizeram um filme fiel ao livro, mas com algumas diferenças que até posso entender, e podemos ver que na nova adaptação cinematográfica trouxe junto com o livro a tonalidade da violência porque uma das cenas iniciais do livro que é o encontro o irmão mais novo de Bill com o palhaço Pennywise que para mim foi uma das melhores entradas assustadoras em filmes de terror e ainda mais sangrentas e prometidas pelos fãs da obra literária e para aqueles que não sabem essa cena no livro que apareceu no novo filme não apareceu na versão da minissérie dos anos 90 até porque essa cena é bem forte e não são para estômagos sensíveis e para pessoas que têm medo de filmes de terror, e ainda o desaparecimento de seu irmão foi o fator principal, ou seja, motor da história do filme, e ai está à referência a Stranger Things, meus caros amigos, mas a crítica não termina por aqui.
E um ano após o desaparecimento do menino do iniciou do filme, nos voltamos à cidade de Derry no estado americano do Maine, estação verão em pleno ano de 1989 onde no desenrolar da trama encontramos todos os sete pré-adolescentes que são os protagonistas do filme, em todo o filme pude perceber que o filme não é só uma história sobrenatural de drama, fantasia, mistério, suspense e terror, mas também é uma história de amadurecimento e crescimento porque pude perceber no filme que os protagonistas assim como no livro são chamados de Clube dos Perdedores onde são Pré-adolescentes que não se conheciam até um inesperado acontecimento mudar a vida deles para sempre onde nas férias de verão, eles aprenderam duas questões importantes; A primeira o valor da amizade e o segundo a questão do medo na fase das suas vidas em eles estão passando.
E uma dos gêneros que se destacou no filme foi o drama, onde antes dos protagonistas saberem da existência do Pennywise suas vidas recheadas com momentos de altos e baixos da fase que chamamos de Puberdade, e o filme não escondem as questões que são muito presentes no dia-a-dia de qualquer garoto ou garota que passa por essa fase que são o bullying, problemas familiares sérios e a questão da pedofília. Em todo filme assim como no livro e na minissérie dos anos 90 é uma das coisas que retratou os problemas que os jovens protagonistas enfrentam nas suas vidas antes de descobrirem o segredo macabro e sinistro da cidade onde vivem ainda mais que cada um vive seu dia-a-dia com suas dificuldades a temática oitentista do filme também serviu para nos aprofundar nos mistérios de Derry.
Um dos momentos mais bonitos do filme foi à cena dos protagonistas no rochedo quando nos primeiros dias das férias tomarem banho nas águas geladas do mesmo local e ainda essa cena nos traz a nostalgia dos anos 80 que faz homenagem e referência ao filme Conta Comigo (1986) que é baseado em uma obra literária de Stephen King que é um dos clássicos da Sessão da Tarde dos anos 80, porque além de mostrar o lado assustador da história usou esse momento para mostrar que nessa história de Stephen King não existe só sombras, como também a luz que no caso é a amizade que é um dos sentimentos mais fortes entre as crianças, os pré-adolescentes e até os adolescentes até porque no livro do It a amizade dos protagonistas é um dos elementos presenciais que estão presentes com eles do início até o final.
E a nostalgia não termina por aqui porque os momentos assustadores e sinistros do filme em que o palhaço Pennywise aparece fazem homenagem e referência à famosa franquia de fantasia, mistério, suspense e terror da New Line Cinema, A Hora do Pesadelo criada pelo famoso mestre dos gêneros, Wes Craven, porque em todas as cenas que o palhaço aparecia lembrava as aparições do vilão Freddy Kruger que às aparecia na forma normal e outras vezes em uma forma monstruosa para atacar e matar as vítimas isso quer dizer que os roteiristas capricharam na nostalgia dos anos 80 no roteiro do filme, e ainda a mesma pode ser notada nas músicas da época e também nos cartazes dos filmes em frente em um cinema e em uma locadora que são: O Batman (de 1989 do diretor Tim Burton) Maquina Mortifera 2 (de 1989 do diretor Richard Donner e A Hora do Pesadelo 5: O Maior Horror de Freddy (de 1989 do diretor Stephen Hopkins) que dizer essa é uma das referências que o filme faz também com a serie Stranger Things que ambas as produções dão uma grande quantidade de nostalgia dos anos 80 pelos filmes e músicas da época, e até nas bandas de rock da época então para aqueles que são fãs dos clássicos dos anos 80, o filme é uma grande recomendação, mas vamos calma ai meus caros amigos leitores que a crítica ainda não terminou e têm outras que preciso discutir com vocês sobre o filme.
Mas uma das coisas que são trabalhadas no filme é questão do medo, uma das coisas que o filme retrata sobre o período da adolescência que é um período conhecido como a transição da infância e a vida adulta que é também um período de insegurança e medo até a figura do Pennywise no filme é caracterizada como figura popular do mito do bicho-papão porque a cada cena que os protagonistas ou até personagens secundários do filme ficaram de frente com ele, eles ficaram frente a frente com seus maiores medos, ou melhor, dizendo seus piores pesadelos na qual o próprio usava como de conseguir o que ele estava procurando na cidade, porque uma das coisas que esteve presente no filme inteiro foi o elemento da inocência juvenil na qual os protagonistas estavam lidando com tudo que suas vidas estavam também processando do meio disso como o caso de perdas familiares, a questão de ser perseguido na escola ou ser tratado como um pária social e ter problemas de família que sejam através de abuso, violência, religiosidade assim porque o filme retratou as inseguranças e os medos que a juventude passa todos os dias, e também do medo também é vista no filme como uma espécie de obstáculo porque até o mesmo impede de nós seres humanos de evoluir ou até mesmo amadurecer, e como todos e fiquei vendo o que nós passamos na vida real todos os dias, é que o verdadeiro da humanidade é o próprio medo em pessoa, porque ele não precisa armas, ataques ou entre outras coisas, porque esse sentimento que aparece no livro e o medo é a mesma força que dá a figura do palhaço Pennywise um grande poder sobre suas vítimas, o que pode ser muito visto no decorrer do mesmo.
E também o filme é recheado com muitas cenas de violência que não são para os de estômago fracos que estão presentes no livro e da minissérie que é cômica cena do banheiro onde é considerada uma das cenas mais fortes e sangrentas do filme, e ainda o clima de mistério e suspense não tiram folgas, porque o filme também faz homenagem e referência ao outro clássico da sessão da tarde dos anos 80, Os Gonnies (1985) até mais uma homenagem e referência a serie Stranger Things quando os protagonistas estão passeando de bicicletas pela cidade deles podemos ver a fotografia das cenas nos faz essa grande homenagem à década de 80 que marcou uma geração.
E ainda o filme faz uma grande referência a uma das novas franquias de suspense e terror da atualidade, Invocação do Mal, apesar do filme se passar nos anos 80 a equipe de produção deu também o toque sobrenatural presente na franquia criada por James Wan, até porque um dos três roteiristas do filme. Gary Dauberman participou de dois filmes da franquia sendo que um deles é recente e lançou nos cinemas americanos e mundiais em agosto de 2017, que vou falar em mais detalhes no final da crítica e uma das partes mais interessantes do filme foi na investigação do passado da cidade em que os protagonistas moram, o que foi de arrepiar até uma das coisas que estava presente no quarto de um dos protagonistas também já mostrou que algo estava escondido de debaixo da cidade onde moram, quer dizer as mentes criativas não estavam brincando quando falaram que a nova versão do famoso livro de Stephen King ficou brilhante e ainda melhor com a mistura que foi citada acima, mas ainda não termina por aqui.
Uma das coisas que ficou excelente na produção do filme foi à fotografia onde os cenários como da cidade onde os protagonistas moram mostrou também que os realizadores da produção conseguiram manter o foco no cenário principal na história porque no filme eu até percebi que a até a própria cidade em que eles vivem serviu uma personagem principal no meio da história toda porque, até entendo que foi mostrado o passado da cidade desde a sua fundação até os acontecimentos sinistros que a rodam durante a sua história e seus cidadãos o que deixou um belo clima de mistério à La Stephen King para aqueles que são fãs do escritor o autor retrata na maioria das suas obras o famoso estado americano do Maine onde nasceu, cresceu e construiu a sua carreira, e que hoje mora com sua esposa, e sem falar que o próprio Stephen King assistiu a nova versão do seu livro antes de lançar nos cinemas e no final ele adorou, até porque a nova versão tem a essência da serie Stranger Things na história e até próprio é fã da serie e adorou também, assim como todos que assistiram ao filme, e até outros quando forem assistir.
A outra coisa que tornou a nova versão do livro um sucesso, também foi no seu elenco juvenil para aqueles que não sabem o filme recebeu a classificação para maiores de 17 anos de idade nos Estados Unidos até consigo concordar com a escolha da classificação porque até os realizadores do filme prometeram uma versão mais sangrenta e violenta do livro e até porque em alguns momentos têm até questões de palavrões e muita violência explicita, mas mesmo com esses elementos o filme não impediu de conseguir o sucesso que estava esperando nos cinemas e até porque o filme traz uma adaptação digna da obra literária do escritor do Stephen King que todos os fãs estavam esperando durante anos e que a mesma tem o alto grau de essência do escritor porque até os produtores honraram a história da mesma mantendo-a fiel ao material original. Coisa que não foi seguida na minissérie dos anos 90 até porque o orçamento deve ter sido pequeno;
Mas voltando sobre o elenco principal da serie que foi composto pelos atores juvenis Jaeden Lieberher, Finn Wolfhard, Sophia Lillis, Wyatt Oleff, Jack Dylan Grazer, Jeremy Ray Taylor e Chosen Jacobs que a alma e a dinâmica da produção até porque a atuação dos mesmos fez grande homenagem aos elencos dos clássicos juvenis dos anos 80 como Os Goonies e Conta Comigo porque até o filme também representou esses clássicos através das abordagens da temática da história do filme até porque o filme representou assim o longas mencionados acima uma história de amadurecimento, aventura e crescimento dos protagonistas e de todos os atores juvenis do filme que mais se destacaram foi Jaeden Lieberher que interpretou o personagem Bill um personagem com espírito altruísta e grande coração que estava lutando com sentimento de culpa durante o filme com relação ao seu irmão mais novo George, mas também o sentimento de amor que ele sentia pelo seu irmão fez não desistir de achar o mesmo, o que posso dizer que o ator representou o personagem de grande caráter na história, e ainda quem se destacou o foi ator Finn Wolfhard (o Mike da serie Stranger Things) que interpreta o co-protagonista Ritchie que é um personagem totalmente o oposto do personagem que o jovem ator juvenil interpreta na serie do canal NETFLIX, mas que serviu uma espécie de o engraçadinho do grupo até a maioria das cenas do filme foi ele fazendo uma piada de mau gosto e escrota que serviu até para aliar até nos momentos arrepiantes e assustadores da produção, e a atriz juvenil Sophia Lillis que interpretou a personagem Beverly que é a única menina do grupo que serviu como uma bússola moral para o grupo dos perdedores até porque em todas as cenas em que seus amigos se encontravam em estado de insegurança, medo e pavor e ainda a personagem representou a figura do feminismo no filme porque de todos os protagonistas da história ela era a mais perseguida do grupo por conta das perseguições cruéis das colegas de escola, da transição que passava entre a infância e a idade adulta, ainda vítima de abuso do próprio pai que parecia ter uma espécie obcessão por ela, ainda temos Stanley o único judeu do grupo que está passando a passagem da maturidade da religião judaica conhecida Bar Mitzvá que é uma cerimônia que insere o jovem judeu como um membro maduro na comunidade judaica. Quando um judeu atinge a sua maturidade (aos 12 anos de idade para as meninas, 13 anos de idade para os meninos), passa a se tornar responsável pelos seus atos, de acordo com a lei judaica; Ainda Eddie o menino que vive tomando medicamentos, e têm medo de ficar doente e vive com sua mãe super-protetora, ainda temos Ben que é o garoto novo da cidade e que têm dificuldade em fazer amigos e sempre é alvo dos valentões e ainda temos Mike o garoto perdeu os pais em um acidente e mora com o avô um pouco duro, todas essas características que descrevi sobre os filmes são as que são retratadas no filme de uma maneira correta que além dele ser uma história sobrenatural de fantasia, mistério, suspense e terror como também é uma história de drama que fala sobre o que ser jovem e passar pelas mudanças que ocorrem a partir dessa fase das nossas vidas que é conhecida como adolescência (transição da infância para a vida adulta) vivendo os altos e baixos com nossos medos e inseguranças, também não é a primeira que Stephen King conta uma história que descrevi em cima, e a primeira foi o primeiro lançamento literário do escritor e a mesma ganhou uma versão cinematográfica do ano de 1976, que é Carrie – A Estranha, depois de muito tempo sem ver uma adaptação cinematográfica de uma obra literária de Stephen King, agora temos uma que vale o estávamos esperando, It: A Coisa.
 E ainda quem se destacou como protagonista da história foi o ator sueco Bill Skarsgård interpreta o palhaço sobrenatural assassino Pennywise vem de uma família de atores suecos e ainda que é irmão mais novo dos atores Alexander Skarsgård (o vampiro sueco Eric da serie True Blood e foi o Tarzan no filme A Lenda de Tarzan), Gustaf Skarsgård (da serie Vikings), e que ele e seus irmãos são filhos do famoso ator sueco Stellan Skarsgård (que é conhecido pelos papéis dos filmes à versão americana de 2011 do Best-seller Os Homens que não Amavam as Mulheres e nos filmes da Marvel), mas voltando ao ator ele conseguiu desempenhar o papel do mostro que assolava a cidade com seus ataques, desaparecimentos e assassinatos misteriosos e ainda o ator conseguiu dar um vilão no estilo de Freddy Krueger original dos primeiros filmes da franquia A Hora do Pesadelo lançados nos anos 80 e ainda conseguiu superar o Pennywise da versão dos anos 90, mas também por conta da grande mudança do visual do palhaço que deixou aquela aparência dos dias atuais para o palhaço clássico dos tempos da renascença até porque os visuais de antigamente deixavam um tom mais macabro e sombrio e até concordo com a mudança que o diretor fez na obra, e essa não é a primeira vez que ator Bill Skarsgård se interage nos gêneros do fantasia, mistério, suspense e terror porque sua carreira começou na famosa serie dos gêneros fantasia, mistério, suspense e terror do canal NETFLIX criada por Eli Roth, Hemlock Grove que é também é uma adaptação televisiva de um Best-seller literário que durou 3 temporadas, e que nessa serie interpretou o Upir Roman que é uma espécie de vampiro do folclore eslavo, e agora o jovem ator sueco está de volta ao gêneros, mas desta vez nos cinemas com a nova versão de It: A Coisa, mas que o antagonismo não só ficou no sobrenatural porque como todos sabem os vilões de Stephen King também são humanos como é o caso do valentão que atormenta o grupo dos perdedores que é interpretado pelo ator. Owen Teague que na maior parte do filme ele entrou como um antagonista como um garoto que persegue outros jovens para se sentir melhor devido aos problemas que enfrenta em casa, mas só final ele só entra no lado sobrenatural da história com a ajudinha do antagonista principal que se aproveita do seu sentimento de raiva e vingança, é como dizem problemas familiares podem afetar jovens sejam aqueles que lidam com a maneira certa e outros que lidam com a maneira errada, e ai isso leva para um mau caminho. 
E ainda as cenas finais do filme como as batalhas na mansão abandonada e nos esgotos da cidade foram como uma espécie de trem fantasma assustadoramente divertido onde os protagonistas enfrentam o monstro encarando junto com eles seus piores pesadelos, mas também a mensagem do filme mostrou que a lição que os mesmos personagens aprenderam ao enfrentar a Coisa no verão de 1989 é que a amizade ou a união é mais forte que seus medos juntos que dizer foi uma das cenas mais emocionantes do filme até porque arriscaram a própria vida deles para salvar uma vida inocente o que me faz lembrar as cenas dos clássicos dos anos 80 que assisti uma vez até porque o filme é uma espécie aventura dos anos 80 cheia de nostalgia ao estilo do escritor Stephen King, ainda mais que o roteiro do mesmo trabalhou mais o lado da nostalgia que tornou o filme ser um grande sucesso no mês de setembro ainda mais com uma direção certa na cadeira do diretor para comandar o filme de todas as formas certas, e sem falar que It: A Coisa não é o primeiro filme dos gêneros fantasia, mistério, suspense e terror que o diretor Andy Muschietti trabalha temáticas infantis ou infanto-juvenis com elementos sobrenaturais até porque o primeiro filme de sucesso dele foi Mama do ano de 2013, e agora com It: A Coisa ele voltou à ativa e está se preparando para novos projetos dos gêneros que é um deles é sua maior prioridade é It: Coisa 2.
Ainda o final do filme terminou com uma espécie de encerramento de um livro, na qual a parte final do filme vemos o clube perdedores fazendo um pacto de sangue que se um dia a coisa voltar para Derry, eles estarem juntos novamente para enfrenta-la, e também a mesma cena foi muito bonita para um filme de terror que fez uma grande menção honrosa ao filme Conta Comigo; E sem falar que a famosa serie do canal NETFLIX criada gêmeos Matt e Ross Duffer tiveram inspiração na história de Stephen King, It: A Coisa assim como dos filmes Os Gonnies e Conta Comigo, e ainda mais que as obras do escritor têm influência na serie como podemos ver na 1° temporada assim como na 2° temporada da serie, e não é atoa que a nova versão cinematográfica do livro conseguiu criar o estilo de mistério e suspense ambientado com os climas de drama, fantasia e terror. E Ainda o final deixou uma ponta solta como fosse uma espécie intervalo na história de como uma mensagem de queremos mais, e não posso culpar os espectadores porque quando a tela deu capítulo 1 deu aquela mesma sensação de ver a sequência da história.
O filme foi dirigido pelo argentino Andy Muschietti (diretor do filme Mama), com roteiro escrito por Cary Fukunaga (diretor e produtor-executivo da serie True Detective), Gary Dauberman (roteirista dos filmes Annabelle e Annabelle 2: A Criação do Mal) e Chase Palmer, e o filme foi produzido por Seth Grahame-Smith (roteirista e produtor do filme Sombras da Noite), Barbara Muschietti, Dan Lin (produtor dos Sherlock Holmes, Sherlock Holmes 2: O Jogo de Sombras, Uma Aventura Lego e Lego Batman: o Filme e da serie Lethal Weapon), Roy Lee (do produtor da trilogia O Grito, Como Treinar seu Dragão, Uma Aventura Lego, Lego Batma: O Filme, Death Note e das series Bates Motel e The Exorcist) e David Katzenberg, e no elenco do filme estão: Bill Skarsgård (da serie Hemlock Grove), Finn Wolfhard (da serie Stranger Things), Sophia Lillis, Jaeden Lieberher (do filme Guardiões da Galáxia), Jack Dylan Grazer (do filme Tales of Halloween), Wyatt Oleff (do filme Guardiões da Galáxia), Jeremy Ray Taylor, Chosen Jacobs, Owen Teague (da serie Bloodline), Nicholas Hamilton (do filme A Torre Negra), Jackson Robert Scott, Stephen Bogaert (do filme Psicopata Americano),Jake Sim,Megan Charpentier (dos filmes A Garota da Capa Vermelha, Mama, O Inventor de Jogos, Resident Evil 5: Retribuição e A Cabana) e Ari Cohen
Vejam a nota do filme abaixo:
Nota:8,4/10,0
Resultado de imagem para it: a coisa
E suas imagens:
Resultado de imagem para It - A Coisa 2017 new poster
Resultado de imagem para It - A Coisa novo trailer
Resultado de imagem para It - A Coisa novo trailer
Resultado de imagem para It 2017
Resultado de imagem para It 2017 house
009
‘It: A Coisa’: Diretor explica porque Will Poulter rejeitou o papel de Penywise
Resultado de imagem para It 2017
Resultado de imagem para It 2017
Resultado de imagem para It 2017
Resultado de imagem para It 2017
E para aqueles que tinha duvidas sobre o sucesso da nova versão do livro com relação as bilheterias nos Estados Unidos, vejam abaixo
A noite da quinta-feira (07) foi movimentada para os cinemas americanos. O terror It: A Coisa conseguiu arrecadar impressionantes US$13.4 milhões nas sessões “da meia-noite” nos EUA, e com esse número já quebrou quatro recordes de bilheteria. O valor deixa para trás o antigo recordista “Deadpool”, que somou US$ 12,7 milhões em 2016.
It: A Coisa agora tem a pré-estreia mais lucrativa de todos os tempos para um filme de terror (1º recorde), para um filme com classificação para maiores de idade (2º recorde), para um filme lançado no mês de setembro (3º recorde), e para uma adaptação de Stephen King (4º recorde). 
A marca relacionada à classificação indicativa é ainda mais significativa, visto que It bateu Deadpool na corrida. O filme do mercenário é o mais lucrativo da história na classificação R-Rated (para maiores).
O fundo do poço atingido pelas bilheterias nos cinemas americanos está sendo revertido pelo terror de It: A Coisa, adaptação de Stephen King. 
Projeções apontam que o filme vai terminar seu fim de semana de estreia com faturamento de US$103 milhões – apenas nos Estados Unidos. 
É o melhor lançamento desde Homem-Aranha: De Volta ao Lar, que levou US$ 117 milhões no fim de semana de estreia. Nos últimos dois meses, os cinemas dos Estados Unidos vivenciaram uma baixa nas bilheterias como há muitos anos não se via. 
Trata-se de um resultado impressionante para um filme de terror proibido para menores, que ainda estreia no tradicionalmente lento mês de setembro. Além disso, It: A Coisa custou apenas US$35 milhões.
Longa arrecadou US$ 51 milhões e tornou-se uma das maiores estreias para um filme de terror da história
Na estreia oficial, que aconteceu na sexta-feira (7/9), o longa bateu mais três recordes, ao registrar surpreendentes US$ 51 milhões em um único dia. O valor representa: a maior abertura de um filme lançado no mês de setembro na América do Norte, a maior abertura de um filme de terror em todos os tempos e a maior abertura de um filme de classificação “R” (para maiores de 17 anos) da história do cinema norte-americano. Curiosamente, o antigo recordista desta última marca também era “Deadpool”, com US$ 47,3 milhões.
It: A Coisa teve uma das maiores aberturas da história nesta sexta-feira (08). Segundo o site Movie Web, o longa arrecadou impressionantes US$ 51 milhões e tornou-se uma das maiores estreias para um filme de terror de todos os tempos nos EUA. 
Além disso, o longa tornou-se a maior abertura da história do mês de setembro e, agora, a expectativa é que o filme arrecade cerca de US$ 100 milhões em seu primeiro fim de semana na bilheteria dos EUA. 
Para base de comparação, a maior estreia do mês de setembro contando todo o fim de semana era de Hotel Transilvania 2, que em 2015 fez US$ 48 milhões ao longo de três dias. 
O longa ainda quebrou o recorde de salas para filmes de classificação R, que é voltado para o para o público maior de idade. O longa está presente em 4,1 mil cinemas.
Já há algum tempo, especialistas apontavam que It: A Coisa iria estrear com uma grande bilheteria. Bem, isso se concretizou. A adaptação da obra de Stephen King chegou aos cinemas do mundo fazendo US$ 76 milhões entre quinta e sexta-feira (7 e 8 de setembro). 
O valor deve aumentar até o domingo (10), já que os sábados são os dias mais movimentados nas salas.
A nova versão de It: A Coisa já é um sucesso inquestionável. O sinistro palhaço Pennywise e o Clube dos Perdedores conquistaram o público, o que se revela em números: o filme arrecadou US$117 milhões em seu fim de semana de estreia nos Estados Unidos.
Com isso, a adaptação da obra de Stephen King é a terceira melhor estreia do ano, empatado com Homem-Aranha: De Volta ao Lar, atrás apenas de A Bela e a Fera (a maior bilhteria de 2017 até o momento) e Guardiões da Galáxia Vol. 2.
Trata-se de um resultado impressionante para um filme de terror proibido para menores, o que restringe bastante o público. Além disso, o longa custou apenas US$35 milhões. A crítica também se empolgou com o lançamento, que apresenta aprovação de 87% no Rotten Tomatoes.
A diferença entre o faturamento de It: A Coisa e Home Again, que ficou em segundo lugar no fim de semana, é gritante. A comédia romântica com Reese Witherspoon faturou US$ 9 milhões. Trata-se, de qualquer forma, de um projeto de baixo orçamento: custou US$ 15 milhões.
Espero que gostem da nova postagem, e até a próxima, meus amigos!

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pantera-Negra, um dos grandes lançamentos e um capitulo inédito da famosa franquia da Marvel Studios para o ano de 2018 com inovação na história e etnia diversificada de tirar o fôlego!

Jogador N°1, novo filme de sucesso da Warner Bros dirigido pelo famoso diretor Steven Spielberg que é baseado no livro de sucesso do escritor Ernest Cline, que é um prato cheio de referências da cultura pop dos anos 80 que estreou quinta-feira passada nos cinemas!

A Forma da Água, uma história de aventura e romance dos gêneros drama,fantasia, suspense e terror para adultos da Fox Searchlight Pictures dirigida pelo aclamado diretor mexicano Guillermo del Toro que é um dos lançamentos recentes que faz o grande resgate ao passado!