filmes de terror

Filmes de Ficção-científica

Filmes de comédia

Filmes de Aventura

Filmes de drama

Filmes de suspense

Filmes adolescentes

Filmes de ação

Clássicos

Filmes baseados em fatos reais

Filmes de Faroeste

Filmes de Animação

Franquias

Lançamentos

Filmes épicos

Filmes de fantasia

Filmes de romance

Filmes de Policial

Filmes de mistério

Filmes de Guerra

series de televisão

Notícias

Em breve

Especiais

sábado, 15 de abril de 2017

Rogue One - Uma História de Star Wars, lançamento de sucesso de 2016 da Lucasfilm que é uma expansão cinematográfica de pura nostalgia do universo de Star Wars!

Bom dia, meus amigos, hoje tenho uma nova crítica para vocês do novo filme de sucesso da Lucasfilm do ano de 2016, que é também é considerado por muitos fans da franquia Star Wars, como uma prequela, e para aqueles que não sabem, foi lançado no ano de 2015, o episódio 7 da franquia, que é chamado Star Wars – O Despertar da Força, que trouxe um grande ar de nostalgia e inovação, e também trouxe velhos personagens clássicos junto com novos personagens desse universo criado pelo famoso George Lucas.
O novo filme chamado Rogue One – Uma História de Star Wars é um longa cuja história se passa entre Star Wars – Episódio 3: A vingança dos Sith e Star Wars – Episódio 4: Uma Nova Esperança, onde mostram os primeiros anos do Império após a queda dos Jedi, e imposição do terror na Galáxia, e ainda o filme assim como seu antecessor do ano de 2015, é dar uma expansão no universo de Star Wars, e cumpre muito bem esse dever, como também da um toque de inovação e nostalgia, além de apresentar novos personagens que nunca foram vistos antes da tela.
O título do filme tem como base a história de como os rebeldes, ou seja, a Rebelião rebelde conseguiu os planos para destruir a primeira estrela da morte que foi visto no episódio 4 lançado no ano de 1977, e também o título do filme se deve a um grupo de heróis que serão de base na história para o roubo dos planos da arma, mas o que destaca no filme é o filme têm o famoso poder feminino, porque muitos filmes e series de televisão estão colocando garotas ou mulheres como protagonistas fortes e destemidas, que antes era para os garotos, mas agora o mundo do entretenimento está vivendo a verdadeira revolução dos gêneros, e, além disso, Rogue One, não é o primeiro filme da franquia Star Wars a colocar uma personagem feminina como protagonista, o primeiro foi o Star Swars – Episódio 7: O Despertar da Força, isso mesmo assim como no mundo do entretenimento, as mulheres estão ganhando cada vez mais destaque na nossa sociedade contemporânea.
Uma das novidades do novo filme da franquia, é que ele diferente dos outros anteriores, que começavam com a velha introdução com a música clássica de Star Wars, o começo desses é diferente, porque ele já coloca os espectadores no olho da ação, ou seja, de apresentar um terreno diferente para a nova geração, e também concordo com a decisão deles de mudar um pouco a dinâmica da história, porque principalmente para as gerações mais novas dos fãs, que podem começar perceber que as coisas podem ficar monotomas rápidas, porque é como dizem, às vezes fazer uma coisa toda hora cansa, e Rogue One – Uma História de Star Wars serviu para colocar uma dinâmica nova nesse universo espacial fantástico criado por George Lucas que nunca para de nos impressionar, e ainda o novo filme nos leva uma viagem de nostalgia, como também nos apresenta novos personagens e lugares que nunca vimos no universo de Star Wars, e ainda o começo do filme foi bastante cheio de adrenalina e emoção, mas a ação no começo dura pouco, mas em compensação, já nos mostra que a trama que estar circulando no meio disso tudo tem haver com a nova personagem e sua família que vai foco do filme inteiro.
E depois vem a abertura clássica da franquia que foi colocada em segundo plano, mas isso já foi discutido, e trama pula para alguns anos no futuro, e ainda o filme nos apresenta o universo de Star Wars sob o domínio do Império Galáctico, porque os episódios de 4 a 6 mostraram a luta da rebelião contra o mesmo, aqui veremos um dos acontecimentos que não foi mostrado na trilogia original, de como os rebeldes conseguiram os planos da primeira Estrela da morte, e ainda o filme também veio recheado com muitos elementos de nostalgia no tempo de duas horas do filme, e ainda no filme tivemos a apresentação de novos vilões e até velhos inimigos que não eram vistos desde o filme de 1977, e ainda o filme não veio apenas com personagens novos como também personagens antigos adorados pelos fãs de Star Wars, mas não vou entrar em detalhes, ou melhor, dizendo não vou dar spoolers para não estragarem a surpresa de hoje, como todos sabem perde a graça.
Uma das coisas que ficou bastante marcada no filme, foi à atuação dos atores principais assim como a história do roteiro que teve momentos um pouco lentos no começo, mas valeu a pena esperar, mas mesmo com ritmo lento o filme nos apresentou um caráter forte, porque os personagens apresentados no filme são diferentes dos apresentados na trilogia original, porque o que marca esse grupo de personagens no filme que vão ser fundamentais no roubo dos planos da Estrela da Morte, quando assistirem o filme verão o que estarei falando durante toda a crítica com relação ao filme, e uma das coisas que foram deixadas de lado também no filme foi às entradas de texto narrando os acontecimentos do universo, que sempre víamos nos filmes de Star Wars, quer dizer que o diretor que fez o filme de Rogue One – Uma História de Star Wars queria dar uma inovação, ou seja, fazer uma coisa diferente.
Além disso, o novo filme nos apresentou essa segunda protagonista da franquia Star Wars, cuja família dela tem uma forte relação com o Império, porque isso foi apresentado em um flashback do filme, e é nesse mesmo filme que descobrimos as origens da primeira Estrela da Morte que foi usada no Episódio 4: Uma Nova Esperança, e também é no mesmo filme descobrimos como os rebeldes conseguiram roubar os planos da mesma, e uma das coisas que ficou bastante marcantes no filme, que é uma das diferenças das grandes com relação com os 7 filmes anteriores da franquia, nesse filme não tivemos nenhum jedi na história, também um dos jedis que ainda estava vivo era o Obi-Wan Kenobi, porque Rogue One é uma história entre os episódios 3 e 4, mas uma parte do filme tivemos quase a menção do mesmo personagem, e também tivemos poucas cenas de sabre de luz no filme, mesmo não seguindo os padrões dos seus antecessores Rogue One, consegue trazer a adrenalina, mesmo sem algumas características dos filmes anteriores, e o objetivo do filme é explorar novos trajetos da mesma história, mas ainda apresentando os mesmos elementos clássicos e nostálgicos.
O filme nos apresenta aquela nostalgia de tirar o fôlego assim como seu antecessor do ano de 2015, mas aqui a história é quando Império ainda estava no poder, e comandando com punho de ferro a galáxia, e a os rebeldes estão preocupados com esse avanço e com o surgimento dessa nova arma, que decidem resgatar a filha do cientista que para deter esse perigoso avanço do inimigo, e com isso se forma a primeira turma de heróis antes do grupo de Luke Skywalker, mas diferente do grupo de heróis da trilogia original, o de Rogue One têm como líder uma garota, na missão deles de procurar respostas pela nova arma do império, porque uma das homenagens clássicas da franquia que faz no filme é a formação do grupo pelo destino, histórias como essa nunca ficam velhas, onde mostram um grupo de heróis sendo formado para uma missão importante para salvar muitas vidas inocentes, mas uma coisa foi feita de forma diferente com relação aos heróis no final do filme, principalmente colocou um dos filmes da saga na moda das produções da atualidade.
No decorrer do caminho, eles vão encontrando pistas sobre o paradeiro de uma pessoa bastante próxima do pai dela, mas também no decorrer do filme vão encontrando novos aliados de tirar o fôlego, e uma das coisas que ficou bastante na produção foram às cenas de luta e ação, o filme começou a caminhar pra frente quando o tema central da história apareceu, e deram engatilhada para movimentar o mesmo, e ainda as coreografias de luta foram bastante boas, e ainda o filme nos presenteou com aquelas cenas de nostalgia que nos lembram da trilogia original, o filme também serviu para essa função para dar uma grande homenagem aos fãs mais velhos da saga de Star Wars, para ninguém perde por nada, mas mesmo com esses toques velhos, a saga nos recompensou com um filme no estilo clássico nostálgico acompanhado com melhorias modernas de tirar o fôlego, e ainda com a modernização as cenas de batalha ficaram melhores ainda, e sem perder tempo em nenhum detalhe, e o filme não decepciona mesmo.
O filme também resgata muito momentos da franquia, como confusões em bases espaciais, cidades lotadas de tropas imperiais, encontro com mercenários, sempre víamos coisas desse tipo desde o lançamento do primeiro Star Wars lançado no ano de 1977, mas mesmo com esses elementos repetidos a coisa nunca fica batida, e, além disso, o que deu uma grande inovação no filme foi à exploração de novos mundos nunca visto antes, e ainda no mesmo filme podemos ver uma grande menção aos jedis já que nenhum apareceu, e para falar a verdade o filme focou mais na relação dos mercenários com a franquia, porque o foco da mesma sempre foi os jedis, essa é mais uma característica que diferencia o filme dos outros, mas ainda tivemos a menção da força nesse filme, mesmo que ela não seja colocada em prática, porque ela assim como os jedis sempre terão o papel super fundamental em Star Wars, mesmo que tenham sido colocados em segundo plano.
Além disso, o filme teve uma grande questão que parece que fez uma espécie de modificação na estrutura da Estrala da Morte, eu me lembro de que quando assisti ao primeiro Star Wars de 1977, quando ela estava atacando a forma como ela destruía o planeta era diferente, mas no caso de Rogue One, o filme trabalhou com uma abordagem mais leve que no clássico de 1977, e ainda o filme tinha como ponto central a família da jovem com a arma do império, e os efeitos visuais foram bastante diferentes daqueles que foram usados no filme de 1977, mas que muita coisa que apareceu no filme de 1977, foi bastante reutilizada na trama em si, mas com algumas modificações, e ainda na formação do grupo da nova história teve semelhança com a geração clássica dos anos 70, e ainda as cenas de ação foram de tirar o fôlego graças à atuação dos atores e atrizes profissionais no filme, e ainda o filme teve muitas cenas dramáticas de tirar o fôlego de qualquer um que assistir.
E ainda o filme leva o título da história por causa da operação que aparece quase no final do filme, porque o grupo que é formado no final do filme é diferente do grupo que estamos acostumados a ver em toda franquia de Star Wars, e para falar a verdade eu gostei, porque recente tivemos produções em que trabalhou com a ideia de explorar os dois lados da moeda, porque as produções de antigamente sempre trabalhavam com a ideia de personagens que eram os mocinhos 100%, ou seja, aqueles que eram pessoas normais que se tornaram grandes heróis, mas no caso do novo filme da franquia é trabalhar tudo de forma diferente com uma nova roupagem, no estilo de produções cinematográficas que trabalham com este estilo que é do grupo dos anti-heróis, e desse ponto para lá, os momentos do filme foram bastante intensos de tirar bastante o fôlego.
E ainda a grande batalha do filme pelos planos da Estrela da Morte foi uma das melhores cenas do filme porque envolveu uma grande batalha tanto em planeta como no espaço, também porque os efeitos especiais foram muito bons, e ainda tivemos uma batalha com grande estilo e vimos velhos veículos do Império que não apareciam há muito tempo, e que só tiveram aparições nos episódios V e VI, e ainda o grupo que liderou a missão não era dos melhores, mas se saiu melhor que eu pensava, porque as maiores das cenas de ação foram feitas por eles, e ainda os momentos na batalha do espaço teve momentos de nostalgia que me lembraram da batalha do espaço no episódio 6 – O Retorno dos Jedi, mas o final de Rogue One teve uma mistura de Uma Nova Esperança com o Retorno dos Jedi, o que não ficou nem um pouco mal, pelo contrário combinou a essência dos dois filmes da trilogia original em uma essência só em uma préquela feita, e ainda o que dominou em todo o filme, foi o relacionamento de pai e filha, uma coisa que eles conseguiram encaixar bem no longa, uma das coisas que sempre foram importantes no filmes de Star Wars foi à essência das relações amorosas e familiares que dão o tom de dramático na história, e uma das coisas que ficou bem ausente no filme, mas que teve uma menção foi à entrada de um novo relacionamento amoroso na franquia, mas em Rogue One, e o mesmo trabalho uma essência dos anti-heróis, porque o grupo chamado Rogue One que se organizou pegar os planos da Estrela da Morte, eram formados por párias, desajustados e entre outros, uma coisa diferente para a franquia Star Wars trabalhar.
E ainda o filme teve aparição de 4 personagens clássicos de Star Wars, mas não vou revelar que são, mas vou dar a dica de um deles que é o vilão principal da trilogia original, e que é o mesmo que ajudou o Imperador Palpatine a trair os jedis no episódio III, e após a batalha no planeta, a mesma nave que transportar os 3 personagens restantes, é o que dá terreno para o episódio IV – Uma Nova Esperança do ano de 1977.
O filme foi dirigido pelo diretor britânico Gareth Edwards, com o roteiro escrito por Tony Gilroy (da trilogia Bourne) e Chris Weitz (do filme Cinderella), no elenco do filme estão: Felicity Jones (dos filmes A teoria de Tudo, Inferno e Sete Minutos Depois da Meia-Noite), Diego Luna (do filme Festa no Céu), Donnie Yen (da trilogia O Grande Mestre), Mads Mikkelsen (da serie Hannibal e do filme Doutor Estranho), Riz Ahmed (dos filmes O Abutre e Jason Bourne), Ben Mendelsohn, Forest Whitaker (dos filmes A Experiência e A Chegada), Jiang Wen, Genevieve O'Reilly, Spencer Wilding (dos filmes Guardiões da Galáxia e Victor Frankenstein), Guy Henry, Ben Daniels (da serie The Exorcist) e entre outros que participaram da produção.
Vejam a nota do filme abaixo:
Avaliação do filme:
Nota:8,8/10,0
Resultado de imagem para Rogue One 2016 posters
E suas imagens:
Resultado de imagem para Rogue One 2016 posters
Resultado de imagem para Rogue One 2016 posters
Resultado de imagem para Rogue One 2016 posters
Resultado de imagem para Rogue One 2016
Resultado de imagem para Rogue One 2016
Resultado de imagem para Rogue One 2016
Resultado de imagem para Rogue One 2016
Resultado de imagem para Rogue One 2016
Resultado de imagem para Rogue One 2016
Resultado de imagem para Rogue One 2016
Resultado de imagem para Rogue One 2016
Espero que gostem da nova postagem, e além disso o Star Wars - Episódio VIII: Os Últimos Jedis já teve seu primeiro trailer liberado ontem, e daqui alguns dias estará disponível no blog, e lançamento para do filme é dezembro de 2017, e até a próxima, meus amigos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário