filmes de terror

Filmes de Ficção-científica

Filmes de comédia

Filmes de Aventura

Filmes de drama

Filmes de suspense

Filmes adolescentes

Filmes de ação

Clássicos

Filmes baseados em fatos reais

Filmes de Faroeste

Filmes de Animação

Franquias

Lançamentos

Filmes épicos

Filmes de fantasia

Filmes de romance

Filmes de Policial

Filmes de mistério

Filmes de Guerra

series de televisão

Notícias

Em breve

Especiais

segunda-feira, 5 de dezembro de 2016

Sete Dias sem Fim, uma dramédia sobre uma família judaica da Warner Bros de muito entretenimento!

Bom dia, meus amigos, hoje tem uma nova crítica para vocês sobre há dramédia Sete Dias sem Fim da Warner Bros, que estreou em 2014, e o filme a história de uma família judaica, onde os filhos se reúnem após a morte do pai, que passam uma semana juntos, para a comemoração de Shivah juntos, mesmo décadas sem se virem e trazendo a tona os problemas familiares.
O filme é baseado no Best-seller escrito por Jonathan Tropper que foi publicado em 6 de outubro de 2013, nos Estados Unidos, e a adaptação cinematográfica da Warner Bros do Best-seller do The New York Times foi lançada nos cinemas em 2014, que foi dirigida pelo diretor canadense Shawn Levy (do filme Gigantes de Aço) e com o roteiro escrito pelo próprio escritor Jonathan Tropper que escreveu o Best-seller.
A história do filme conta a vida de um jovem homem chamado Judd Altman que tinha tudo na mão, um emprego, casamento, uma vida perfeita que é um maravilhoso retrato de um mar de rosas que todo mundo sonha ter um dia, e o filme acertou em cheio em começar o filme onde vemos nosso protagonista vivendo um grande momento feliz na vida como se nada pudesse dar errado, mas no mesmo dia ele sua vida muda complemente para fazer uma surpresa especial para a mulher da sua vida, ai que vem parte decepcionante que vida perfeita começa a desmoronar por completo, quando pega sua esposa transando com o chefe de trabalho da rádio e melhor amigo dele, e assim começamos a história do filme porque até no próprio livro escrito por Jonathan Tropper, vemos como a vida de uma pessoa pode mudar drasticamente de uma hora para outra em pouco tempo.
Isso mesmo, ai 3 meses depois de Judy descobrir a terrível verdade que sua esposa estava tendo um caso de um ano com seu chefe, a sua vida vai por ladeira abaixo, quando recebe mais uma notícia ruim na sua vida e desta vez desagradável, em que ele descobre que seu pai morreu, e não podia ser um dos piores momentos da sua vida, e com isso vem a nossa história, porque vocês já leram o livro que conta a história de um homem que tinha tudo na mão, mas tudo vai por ralo abaixo, quando descobre que o amor da sua vida estava tendo um caso com seu chefe, e meses depois de se separar da sua esposa, ele recebe a notícia de que seu pai tinha falecido, não é mole não.
E assim como no livro, o filme também vai mostrar o personagem vivendo nessa maré de duvidas que se circula pela sua vida, e isso tudo no momento do falecimento de seu pai, que vai envolver uma tradição judaica em que ele, dois irmãos e irmã terão que passar uma semana na cidade para prestar uma homenagem ao pai deles, e também vamos por parte também sobre a família do personagem que quando o vemos de cara, vemos que não é tipo uma família super unida e não muito tradicional com as tradições da religião judaica, mas com o tempo veremos o desenvolvimento dos mesmos com seus dramas, intrigas, problemas amorosos, familiares e pessoais, porque uma das coisas que vocês vão ver na minha crítica, qual a temática que a história traz com a relação à família, os problemas da vida adulta e como a vida funciona com o cotidiano de qualquer um.
A temática do livro e do filme é mostrar o que é uma vida familiar sem muito contato, e o que é ser adulto e seus conflitos, é uma lógica bem interessante porque desde que nós chegamos ao mundo, nós seres humanos temos as nossas primeiras interações com as pessoas desde que nascemos à primeira interação dos bebês são com os pais, e depois com outros parentes, e no passar do tempo quando crescemos, quando temos o primeiro contato com a escola, e nos entretemos com as outras crianças é o momento neutro, mas que com o tempo vai ficando mais duro, e vocês sabem onde estou querendo chegar NE, que quando chegamos à segunda metade da infância, nós começamos a presenciar momentos de conflito na nossa que são as categorias de estudante, e isso vai se intensificando, quando você chega à pré-adolescência quando já começam a parecerem os momentos de quem você, e que aquilo vai fazer parte de você na sua adolescência, vocês sabem o que é? Não. Vou explicar melhor que quando chegamos ao Ensino Médio que é conhecida como a fase dos relacionamentos, ou seja, sua identidade se você é o popular, os góticos, os nerds, os meios termos e entre outros, mas quando pensamos que quando chegamos à vida adulta não temos mais esses conflitos que tínhamos nas fases anteriores da vida, muito pelo contrário adultos têm conflitos emocionais e pessoais que vocês vão ver quando forem ver o filme.
Isso mesmo, meus caros amigos a vida têm suas pedras no caminho, não importa se você é criança, adolescente ou adulto, sempre vai ter uma pedra no caminho, mas no caso do filme é uma dramédia familiar adulta sobre os filhos de um casal judaico que se reúnem depois de muito tempo após a morte do patriarca da família, e até o titulo do livro e filme já dizem Sete Dias sem Fim que retrata uma reunião de família para restabelecer os laços familiares que eles não compartilhavam uns com outros desde que cada um decidiu seguir com a vida de cada um, e quatro filhos do casal são Judy que se separou da mulher após pegar ela traindo com seu chefe, depois temos a irmã mais velha de Judy, Wendy que é casada com um empresário e têm dois filhos pequenos, depois temos o mais velho da família, Paul que ele e sua esposa estão tentando ter filhos, e o mais novo da família Philip que é o crianção da família, ou seja, que age como adolescente o tempo todo, e namora com uma mulher mais velha e sucedida na vida, e parece que o sustenta.
Cada um dos irmãos tem que ficar uma semana na cidade em memória do pai falecido, mesmo traz de volta velhas rivalidades, desavenças, ou até memórias engraçadas com relação ao passado familiar, a ideia do filme é essa mostrar momentos de comédia e drama em uma família que não têm muito contata uns com os outros, e durante todo filme temos momentos de humor negro, onde os próprios personagens que são os membros da família criam situações desse tipo de humor, entre eles, ou seja, a ideia dessa reunião é reconquistar os laços familiares, pelo que vi no filme cada um dos irmãos não se encontravam há anos, e o falecimento do pai, os trouxe para realizar uma tradição judaica de restabelecer os laços familiares, principalmente entre irmãos, uma das coisas que ficou bastante presente o filme todo, foi os conflitos da fase adulta entre relacionamentos de casamento, questões de ter filhos, problemas com relação à vida do trabalho tudo foi exatamente explorado em todos os contextos do filme, e que não decepcionou em nenhum ponto o que ficou bastante legal, e uma das coisas que ficou bem entrelaçado no filme, foi o seu elenco.
Vamos por parte que interpretou o personagem Judd foi ator Jason Bateman que é conhecido no papel no filme Quero Matar Meu Chefe onde interpretou um homem cuja vida por ralo abaixo quando descobre que sua mulher estava tendo um caso seu chefe, posso dizer que eu gostei dele, ele soube interpreta bem o personagem, que usa momentos de humor negro, como uma forma de reclamar da sua própria vida, e também no elenco do filme está à americana Tina Fey que interpreta a única irmã da família que vive um momento sempre tensão no casamento com seu marido, com quem têm dois filhos pequenos e uma relação ainda de paixão pelo filho de uma amiga da família, no filme estão também o ator americano Corey Stoll das famosas series House of Cards e The Strain que interpreta o filho mais velho da família em que ele e sua esposa estão tentando ter filhos, e isso são o maior drama de casal, não é verdade, temos também o americano Adam Driver que trabalha na serie de dramédia da HBO, Girls que no filme interpreta Phillip, o caçula da família e o mais imaturo, e fim têm a matriarca da família interpretada pela Jane Fonda (do filme A Sogra) que reuniu seus filhos após a morte do seu marido, e guarda um segredo que não é revelado até o final do filme.
E ainda no elenco filme temos a famosa atriz americana Connie Britton (das series Friday Night Lights, Nashville e American Horror Story e do remake de A Hora do Pesado), Rose Byrne (da franquia Sobrenatural), Timothy Olyphant, Dax Shepard, Debra Monk (do filme O Advogado do Diabo), Ben Schwartz, Kathryn Hahn (do filme Família do Bagulho) e entre outros que participaram da produção.
E o talento na direção vai para o diretor canadense Shawy Levy, que este ano trabalha na serie de sucesso da NETFLIX, como diretor e produtor-executivo da serie, vocês já sabem qual é? Não, ela se passa na década de 80, e o diretor dirigiu dois episódios da 1° temporada, e ela foi o maior sucesso do ano, e foi para a 2° temporada que vai estrear em 2017, e o roteiro do filme fica por conta do escritor do livro, Jonathan Tropper, que ficou um roteiro muito bom, com belos momentos de drama, comédia recheados de humor negro, e situações familiares para deixar qualquer emocionado.
O filme trabalhou muito bem a temática do livro, porque como foi dito na crítica a ideia da história é nos mostrar uma história familiar adulta que mostra os conflitos da fase adulta, nele os relacionamentos de casamento, traições, dramas familiar e também assim como nos filmes adolescentes, esse filme também o amadurecimento das pessoas na vida adulta, e desde que entrei na adolescência descobri uma coisa sobre os relacionamentos sejam eles adolescentes ou adultos, todos são complicados, têm seus dramas, traições e entre muitas coisas, isso é a vida, meus amigos! Mas antes eu tenho que dizer uma coisa para vocês, antes de verem o filme, leiam o livro, que pode ter algumas diferenças com o filme.
E também um dos pontos do filme é sobre uma família judaica em que mesmo quando o patriarca estava vivo, eles não seguiam as tradições da religião judaica, tudo está relacionado com um segredo da matriarca com a família, e como disse o filme fez o excelente trabalho nos momentos de drama misturado com o humor negro, e também com os momentos de interação familiar dos bons.
Vejam a imagem do livro que deu origem ao filme:
Resultado de imagem para This is where I leave You book
Vejam a nota do filme abaixo:
Avaliação do filme:
Nota:8,2/10,0
Resultado de imagem para This is where I leave You livro
E suas imagens:
Resultado de imagem para This is where I leave You posters
Resultado de imagem para This is where I leave You posters
Resultado de imagem para This is where I leave You posters
Resultado de imagem para This is where I leave You posters
Resultado de imagem para This is where I leave You posters
Resultado de imagem para This is where I leave You posters
Resultado de imagem para This is where I leave You posters
Resultado de imagem para This is where I leave You posters
Resultado de imagem para This is where I leave You posters
Resultado de imagem para This is where I leave You posters
Imagem relacionada
Resultado de imagem para This is where I leave You posters
Resultado de imagem para This is where I leave You posters
Espero que gostem da nova postagem, e até a próxima, meus amigos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário