filmes de terror

Filmes de Ficção-científica

Filmes de comédia

Filmes de Aventura

Filmes de drama

Filmes de suspense

Filmes adolescentes

Filmes de ação

Clássicos

Filmes baseados em fatos reais

Filmes de Faroeste

Filmes de Animação

Franquias

Lançamentos

Filmes épicos

Filmes de fantasia

Filmes de romance

Filmes de Policial

Filmes de mistério

Filmes de Guerra

series de televisão

Notícias

Em breve

Especiais

sábado, 4 de junho de 2016

Deuses do Egito, um épico filme de ação, aventura e fantasia e um dos lançamentos de 2016 da Lionsgate!

Bom dia, meus amigos, hoje tenho uma nova crítica para vocês, que é um dos lançamentos mais esperados da Lionsgate para o ano de 2016, que é o épico filme de ação, aventura e fantasia, que é o filme Deuses do Egito, que é uma aventura intrigante de tirar o fôlego com efeitos especiais de qualidade em um mundo fantástico onde a mitologia egípcia é de outro mundo.
O filme começa com uma abordagem das clássicas músicas egípcias, com as escritas, o filme nos traz uma abordagem diferente dos filmes Fúria de Titãs, Fúria de Titãs 2,Imortais,Percy Jackson e o Ladrão de Raios e Percy Jackson e o Mar de Monstros onde o mundo que acontece é o mundo das civilizações que nós conhecemos, é claro que nos cinco filmes citados acima, têm um aspecto de fantasia, mas no caso de Deuses do Egito, o filme nos traz um mundo onde a mitologia egípcia domina o mundo, e que Deuses vivem entre humanos.
O filme começa onde conhecemos um jovem que vai fazer parte da trama do filme, que é um jovem que sobrevive através de pequenos roubos, que mora ao lado da sua jovem amada, os dois personagens que são protagonistas do filme, vivem no que chamo de Egito mitológico, onde os deuses do Egito vivem entre os humanos, e eles são os senhores do universo, o filme faz uma grande reflexão cultura egípcia, na qual o rei do Egito Antigo, o Faraó do Egito, era considerado um Deus na terra, no caso um Deus-Rei, ou seja os criadores que fizeram o filme pegaram essa parte da mitologia egípcia e transformaram numa história no Estilo Senhor dos Anéis e O Hobbit, posso dizer que a ideia foi boa, e acertaram em cheio.
O que trouxe um ar de adrenalina foi estilo dramaturgo, onde no começo do filme o Deus, Horus está prestes a ser coroado rei na cerimônia entre os outros Deuses do Egito e os Mortais, estava correndo tudo bem até a chegada do Deus Set, que enganou Horus e seu pai, de ter vindo a festa como amigo, mas invadiu a festa com o seu exército, e mata seu irmão e destrona seu sobrinho, porém na primeira luta do filme, Set trapaceou e com isso, ele aplicou um golpe de estado, onde aqueles que tiverem mais renda terão que pagar para entrar no outro lado, e com isso aqueles que tivessem tal recurso, iam ser escravizados.
No caso do filme tornou a mitologia egípcia mais adulta, ou seja que a história mitológica do Egito é verdade em que Horus passa anos tentando derrotar seu tio, e também outra parte da mitologia que entra entra é quando Set arranca os olhos de Horus, porém na mitologia é diferente, porém o que fizeram tornaram a história do filme dramática e mais dark, e posso dizer que ficou bom, e com relação ao roteiro do filme ficou impressionante.
O casal que conhecemos na história têm um plano de resgatar os olhos de Horus, para que eles possam conseguam tirar Set do poder, e para que a paz fosse restaurada, momentos iniciais no filme nos deparamos com cenas do templo que têm armadilhas de tirar o fôlego, e posso dizer que os efeitos especiais nessa cena do roubo ficaram excelentes, e que para um mortal roubar um Deus é impossível mas para Bek, ele se superou, e ele consegue escapar com vida, porém ele sua amada são descobertos, eles conseguem escapar mas ela acaba ferida, e não consegue sobreviver.
E assim têm início a jornada de Horus e Bek para salvar a Terra do Egito das garras malignas de Set, em troca Bek teria sua amada de volta a vida, porém a jornada é de muito alcance, e no meio disso tudo, em toda conquista do Egito, Set caça e mata os Deuses do Egito, que não se alinharem a ele, e posso dizer que trama do filme ficou no estilo shakespeariano, onde irmão mata e trai o irmão, filho trai e tenta matar o pai, isso tudo dá um gosto de um filme onde têm muitas emoções.
E não podemos nos esquecer que os efeitos especiais e visuais do filme dão o tom que o filme têm desde o começo, meio e final, os cenários do filme do filme são de tirar o fôlego de qualquer um, que assistir, e também as cenas das batalhas com deuses e criaturas mitológicas são de muita adrenalina, e posso dizer que o filme captou a essência da mitologia egípcia, na qual podemos ver o mundo dos mortos, o palácio dos Deus Tot, e ainda podemos ver as grandes batalhas contra as serpentes de fogo, A Esfinge e a batalha final contra Set.
Como disse o filme nos trouxe uma abordagem mais adulta e dark para o filme assim como nos filmes Fúria de titãs 1 e 2, só que a diferença é que nesse filme é a mitologia egípcia como centro da história, e esse filme foi a jornada do Deus Horus de recuperar sua honra através da aventura que teve com Bek, e com isso um jovem Deus arrogante aprendeu o grande significado da sua tarefa como rei, porque no início do filme vemos que ele perdeu o seu orgulho, e nesses anos que ficou no seu exílio ficou se lamentando e sentindo pena de sí mesmo, porque o primeiro passo para se erguer é para de reclamar e fazer alguma coisa, essa é uma das lições do filme, o filme trata da jornada de crescimento do herdeiro do seu trono contra seu maligno tio, e essa é um dos aspectos da mitologia egípcia que o filme modifica mas que ficou bem legal!
E no elenco quem se destacou no filme o ator dinamarquês Nikolaj Coster Waldau(conhecido no seu papel de jaime Lannister na serie Game of Thrones) que interpretou o deus Horus, e posso dizer que ele se saiu muito bem no papel, de Westeros de Game of Thrones para um Deus Egípcio ele ficou demais, e outro que se destacou na produção também foi o jovem ator australiano Brenton Thwaites(do remake do clássico do cinema Lagoa Azul), e também no papel de vilão perigoso e tirar o fôlego o Deus impiedoso Set, interpretado pelo ator escocês Gerard Butler(dos filmes 300 e Invasão à Casa Branca), e o lado atores estão as famosas atrizes que fizeram os pares românticos dos protagonistas que são Courtney Eaton(do filme Mad Max - Estrada da Fúria) e Élodie Yung(da serie Demoliador).
E a direção do filme ficou por conta do famoso diretor australiano Alex Proyas(dos filmes O Corvo e Eu, Robô),com a produção de Alex Proyas e ao lado do famoso produtor americano  Basil Iwanyk(que trabalhou na produção dos filmes Fúria de Titãs 1 e 2 e da serie do canal aberto americano The CW, The Messengers), com o roteiro de  Matt Sazama e  Burk Sharpless(que trabalharam como roteiristas dos filmes Drácula - A História Nunca Contada e O Ultimo Caçador de Bruxas).
Posso dizer ficou bem interessante, mas ficou uma pegada do estilo Fúria de Titãs, assim como a mitologia grega, eles também também tornaram mitologia egípcia mais adulta, dark e fantástica, posso dizer que ficou um belo trabalho em efeitos especiais e visuais, e também em cenários e nas cenas de luta, o filme vale a pena assistir, agora vejam a nota do filme abaixo e suas imagens.
Avaliação do filme:
Nota:7,7/10,0

E suas imagens:






Espero que gostem da nova postagem, e até a próxima, meus amigos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário