filmes de terror

Filmes de Ficção-científica

Filmes de comédia

Filmes de Aventura

Filmes de drama

Filmes de suspense

Filmes adolescentes

Filmes de ação

Clássicos

Filmes baseados em fatos reais

Filmes de Faroeste

Filmes de Animação

Franquias

Lançamentos

Filmes épicos

Filmes de fantasia

Filmes de romance

Filmes de Policial

Filmes de mistério

Filmes de Guerra

series de televisão

Notícias

Em breve

Especiais

terça-feira, 8 de março de 2016

Vejam as primeiras impressões do esperado filme de terror A Bruxa da Universal!

Bom dia, meus amigos, hoje vou dar uma nova notícia para vocês, de um dos lançamentos do ano de 2016, que é o esperado filme de suspense e terror de época, A Bruxa que estreou 19 de fevereiro de 2016, nos Estados Unidos, e 3 de março de 2016, no Brasil, e é um filme que está dando o que falar, vejam as primeiras impressões do site http://www.minhaserie.com.br/

A Bruxa estreia nos cinemas brasileiros: veja comentários da crítica!


  • Por Guilherme Haasem 04/03/2016 - 15:57
Um dos longas de terror mais elogiados dos últimos tempos estreou esta semana nas salas brasileiras, e o público fã desse gênero está bastante curioso para conferir A Bruxa nos cinemas.
O filme é situado na Nova Inglaterra, no ano 1630, e acompanha a mudança de uma família para sua nova casa. Lá, coisas estranhas começam a acontecer: animais tornam-se malévolos, a plantação morre e uma criança desaparece aparentemente possuída por um espírito maligno. Desconfiados e paranoicos, os membros da família acusam a adolescente de praticar feitiçaria.
A produção é o longa-metragem de estreia do diretor e roteirista Robert Eggers, premiado curtametragista que acaba de se tornar um nome quente em Hollywood após o sucesso de A Bruxa, especialmente junto à crítica.
Abaixo, selecionamos alguns comentários da crítica estrangeira para A Bruxa, para você decidir se vai assistir ao filme nos cinemas neste final de semana:
Publicidade
Fonte da imagem: Divulgação/Universal
A Bruxa foi realizado com extremo cuidado, e o que torna seus elementos sobrenaturais tão assustadores é que (o diretor e roteirista Robert) Eggers também está em sintonia com os desafios mais ordinários do que sigfiica ser humano” (Stephanie Zacharek, da TIME Magazine).
O filme não tem medo de apresentar cenas emocionais e sexuais arriscadas para contextualizar seu tema, e tem o bom senso de deixar algumas coisas inexplicadas, porque elas são mais assustadoras assim” (Dan Callahan, do The Wrap).
Como um puro filme de terror, A Bruxa é algo especial, transportando o público para uma era passada que já seria muito assustadora mesmo sem a atividade paranormal presente” (A.A. Dowd, do AV Club).
Minimalista, sem pressa e totalmente confiante em seu estilo e tom, este conto colonial de New England dá calafrios à moda antiga, por meio de ritmo, atmosfera e destreza” (Chris Vognar, do Dallas Morning News).
Os fãs de terror em sua forma mais sinistra não podem perder A Bruxa. Ele lança um feitiço que perdura muito tempo depois, mesmo quando suas névoas mais inquietantes já se dissiparam” (Ann Hornaday, do Washington Post).
Construindo a trama a partir da diabólica repressão puritana, Eggers eleva A Bruxa muito acima do patamar do terror. Ele não precisa de truques baratos. Eggers apenas comanda nosso olhar para dentro da história. Esteja avisado: você vai se assustar pra valer!” (Peter Travers, da Rolling Stone).
Este longa de estreia fenomenal de Robert Eggers tem estilo e tom singular, e o horror flui das nascentes mais profundas da natureza humana” (Joe Morgenstern, do Wall Street Journal).
Uma viagem inquietante de volta a um tempo em que Satanás parece muito mais próximo de nosso mundo” (Rafer Guzman, da Newsday).
A Bruxa de Robert Eggers não é apenas um excelente filme de terror, mas também um estudo cativante sobre a paranoia extrema e os frágeis laços da família” (Barry Hertz, doGlobe and Mail).
E aí, já conferiu ou planeja assistir A Bruxa? Deixe abaixo o seu comentário e a sua opinião!
Espero que gostem da nova postagem e até a próxima, meus amigos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário